Zeca Camargo é condenado a pagar R$ 60 mil em indenização à família de Cristiano Araújo


Última atualização em 24/01/2018 às 10h42, por Trajano Neto

O apresentador Zeca Camargo, da Globo, foi condenado pela Justiça a pagar R$ 60 mil à família do cantor Cristiano Araújo, morto em 2015, em um acidente de carro. O pai, João Reis de Araújo, e a empresa que gerenciava a carreira do artista, C.A. Produções Artísticas, moveram um processa contra o jornalista depois de uma crônica apresentada por ele durante o Fantástico, na qual discorria a respeito da comoção públicas diante de tragédias nacionais. 

João Reis de Araújo e a empresa afirmaram que "o apresentador debocha do sentimento de perda e da comoção nacional pela morte do cantor Cristiano Araújo, sendo texto escrito e interpretado de forma completamente preconceituosa sobre a cultura sertaneja de uma forma geral", alegando danos morais. No ano passado, Zeca se defendeu, mas teve o apelo negado pela juíza Rozana Fernandes Camapum, da 17ª Vara Cívil de Goiânia. 

Atualmente no comando do programa semanal É de casa, transmitido nas manhãs dos sábados, Camargo tem 15 dias úteis para recorrer da decisão. Ao jornal Folha de S.Paulo, o apresentador disse: "Embora nunca tenha ofendido nem ao cantor nem a ninguém da sua família (e muito menos seus fãs) numa crônica mal interpretada que comentava não sobre a qualidade da uma manifestação artística, mas sobre a repercussão do acontecido na mídia, e apesar de ter pedido desculpas publicamente à época, tomei conhecimento hoje do teor da sentença e vou recorrer". 

Na semana passada, o motorista Ronaldo Miranda Ribeiro, que dirigia o carro em que estavam Cristiano Araújo e a namorada, Allana Coelho Pinto de Morais, que também morreu, foi condenado a dois anos, sete meses e 15 dias de detenção pela juíza Patrícia Machado Carrijo, da 2ª Vara Cível, Criminal, das Fazendas Públicas, de Registros Públicos e Ambiental de Morrinhos, em Goiás. Ele cumprirá pena por homicídio culposo, em regime aberto, e teve a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa. 

Fonte: Diário do Pernambuco