Empresário processa cantor por calote


Última atualização em 05/03/2018 às 08h35, por Trajano Neto

O cantor Léo Magalhães está metido em um imbróglio judicial. Edmundo Pedroso, dono da loja de automóveis 'All Motors', de Goiânia, acusa o sertanejo de ter comprado uma Ferrari Modena 360 amarela em 2016 e ter pago o automóvel com cheques sem fundos. Edmundo então entrou na Justiça para receber os R$ 650 mil referentes à compra do carro.

A coluna teve acesso ao processo de número 5074799.17.2018.8.09.0051, que corre na 6ª Vara Cível de Goiânia. "Ele me deu vários cheques e todos voltaram sustados. Eu liberei o recibo do carro em confiança, mas ele não pagou o que me deve". Léo foi indiciado pelo artigo 171, parágrafo 2, inciso VI (fraude no pagamento por meio de cheque). A loja de Edmundo fica em Goiânia e é queridinha dos sertanejos. Entre os clientes fiéis do empresário estão Zezé Di Camargo, Gusttavo Lima e a dupla Maiara & Maraísa.

Léo Magalhães por desta nota esclarece sobre a ação movida pela All Motors: O cantou era cliente da loja há mais de cinco anos, inclusive já havia comprado outros veículos no mesmo estabelecimento. Passados 60 dias da compra da Ferrari F360, Léo Magalhães foi alertado que o carro havia sido batido com danos sérios na parte estrutural.

Como isso não foi informado na compra, o cantor propôs a devolução do carro,mesmo porque trata-se de um bem de alto custo. O representante da All Motors se recusou a solucionar o problema. Tendo em vista a dificuldade de acordo, os cheques restantes foram sustados por desacordo comercial.

Desde então, o carro permanece guardado e sem uso até que haja um parecer da justiça.  A relação de confiança entre All Motors e Léo Magalhães foi abalada a partir do momento que a loja agiu de má fé, vendendo um carro de alto padrão a um cliente sem informar o grave problema.

Fonte: TV Foco