Chamado de pedófilo, Caetano Veloso processa Twitter e recebe alta indenização


Última atualização em 02/05/2018 às 08h43, por Trajano Neto

No ano passado, o cantor e compositor Caetano Veloso promoveu um movimento “contra a censura das artes”, defendendo a exibição da exposição que contou com uma criança tocando um homem nu no Museu de Arte Moderna de São Paulo, e deu início a uma polêmica.

Ele acabou sendo criticado nas redes sociais, chegando a ser acusado por vários meios e movimentos políticos, com base em uma entrevista antiga de sua esposa, Paula Lavigne, na qual contava que a sua virgindade foi tirada por ele quando ela tinha apenas 14 anos.

Na época, Caetano já estava com 40 anos e isso fez que muitas pessoas o acusassem por um suposto ato de pedofilia. A polêmica, inclusive, foi destaque no “Domingo Espetacular”, que insinuou em reportagem que Caetano teria cometido um crime.

O Movimento Brasil Livre (MBL) encabeçou a campanha contra a presença da criança na exposição, mencionando a entrevista de Paula, que foi publicada pela PlayBoy. Diante de tudo isso, Caetano processou o movimento por danos morais.

Na época, foi tomada uma medida judicial, na qual determinava a remoção de posts ofensivos à honra dos dois nas redes sociais. O Twitter, entretanto, manteve as acusações e a 22ª Vara Cível de São Paulo determinou que a rede social arcasse com uma multa de R$ 220 mil para o casal.

Depois da multa, de acordo com informações do jornal O Globo, o conteúdo foi retirado do ar.

Fonte: TV Foco