Jornalistas da Record criaram grupo de Whatsapp pedindo saída de Paulo Henrique Amorim


Última atualização em 03/10/2017 às 08h26, por

O apresentador Paulo Henrique Amorim segue causando discórdia nos bastidores da Record, depois de ter sido acusado de assédio moral pelas suas colegas de apresentação na revista eletrônica “Domingo Espetacular” e advertido pela direção de jornalismo da emissora.

Em meio a tudo isso, criaram um grupo de WhatsApp para pedir a cabeça do Paulo Henrique Amorim, como informa o jornalista Flávio Ricco. A expectativa era de chamar atenção da direção da Record.

Vale dizer que, de acordo com informações do jornalista Daniel Castro, ele adotou a estratégia de não assediar as colegas e não fala mais com nenhuma das três: Janine Borba, Patrícia Costa e Thalita Oliveira. Não há mais troca de olhares, comentários sobre tal reportagem e nem improvisos.

“Não tem mais aquela troca de ideias, improvisos. Eles não comentam mais as reportagens“, disse um jornalista que trabalha na equipe do “Domingo Espetacular”.  O clima pesou e há quem garanta que só a direção poderá resolver a situação.

Tudo começou porque Paulo não gostou de um ‘tchauzinho’ que Thalita Oliveira deu no final da gravação de uma chamada do programa. Aumentou a voz e perguntou se ela queria aparecer mais que os demais apresentadores.

Thalita levou o caso para a direção. PH foi advertido verbalmente e resolveu pedir desculpas. Reconheceu o erro, mas garantiu que jamais abrirá mão dos seus direitos. “Lamento muito e peço desculpas se fui exagerado, mas sempre de maneira segura e severa resguardarei o meu trabalho como jornalista”, disse.

Fonte: TV Foco