Agora Na Rádio
Terço em Família

Relatório da ANA aponta problemas ‘críticos’ na barragem de Juazeirinho e mais três na Paraíba


Última atualização em 13/12/2019 09:15, por Rebeca Andrade

Pelo menos quatro barragens localizadas na Paraíba apresentam algum comprometimento estrutural importante, segundo o Relatório de Segurança de Barragens (RSB) 2018 divulgado, nesta quarta-feira (11), pela Agência Nacional de Águas (ANA). Segundo o relatório, a Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) externou preocupação pelas barragens de Mucutu (Juazeirinho) e Queimadas (Queimadas) por erosões talude de jusante, Cachoeira dos Cegos (Catingueira) por drenagem danificada, e Saulo Maia (Areia) por hidromecânica inoperante.

A constatação incluiu outras 64 barragens de todo o país, após vistorias in loco realizadas por 18 fiscalizadores, que listaram essas barragens como “críticas”. No relatório anterior, de 2017, foram apontadas como críticas 45 barragens. Em 2016, eram 25. Esse aumento pode refletir maior inclusão de dados, bem como expansão das atividades de fiscalização.

A maioria das barragens que preocupam os fiscalizadores de todo o país, entre órgãos estaduais e federais, tem problemas de baixo nível de conservação da estrutura da barragem. No entanto, existem outros motivos para a classificação preocupante, como insuficiência do vertedor ou ausência de empreendedor.

Situação nacional – Os dados apontam que 68% das barragens submetidas à Política Nacional de Segurança de Barragens (PNSB) apresentam Dano Potencial Associado (DPA) alto e 23% das barragens apresentam Categoria de Risco (CRI) alta. A atualização do RSB traz dados do Sistema Nacional de Informações sobre Segurança de Barragens (SNISB), informados pelos 32 órgãos nacionais e estaduais responsáveis pela fiscalização da segurança de barragens no país.

Ainda de acordo com o relatório, há 909 barragens no país que possuem tanto a CRI como o DPA altos, o que representa 19% das barragens classificadas. Em relação ao relatório anterior, houve aumento de 26% das barragens classificadas nas duas categorias: DPA alto e CRI alto. Para o RSB 2018, foram reportadas pelos órgãos fiscalizadores à ANA 6.577 barragens classificadas quanto ao DPA, o que representa um acréscimo de 20% em relação às 5.459 reportadas no RSB 2017. Já em relação à CRI, foram reportadas 5.086 barragens, um acréscimo de 21% em relação às 4.201 reportadas no RSB 2017.

De Olho no cariri