Agora Na Rádio
Jornal do Meio Dia

Polícia Civil prende assaltantes de bancos suspeitos de ações criminosas no Cariri e e apreende armamento com vasto poder de fogo


Última atualização em 19/04/2021 09:51, por Yan César

Uma operação realizada pela Polícia Civil da Paraíba e do Rio Grande do Norte prendeu neste sábado, 17 de abril, dois homens foragidos da justiça, processados por crime de roubo a banco em vários estados do Nordeste. Durante a ação, foram apreendidos três fuzis calibres 5.56 e 7.62, mais de mil munições nos mesmos calibres, além de outras nos calibres 12 e 9mm. Explosivos e coletes balísticos da Polícias Civil e Militar também estavam com os criminosos.
A ação foi realizada por policiais da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) de Campina Grande, o DEICOR da PCRN e a Delegacia Municipal de Alxandria (RN). De acordo com as investigações, os dois homens presos – Camilo Cassimiro Nunes (“Camilo Bombado”), 32 anos, e Allan Pereira Paes Maciel (“Allan Capacete”), 26 anos, participaram do roubo ao Banco Bradesco e Banco do Brasil, no dia 14 de outubro de 2020, na cidade de São Paulo do Potengi (RN).
Camilo tinha quatro mandados de prisão em aberto. Ele foi preso na zona rural de Alexandria (RN), com duas pistolas calibre 9mm e as munições do mesmo calibre. O foragido informou aos policiais civis que as armas de grosso calibre estavam na zona rural de Bom Sucesso (PB), que foram encontradas e apreendidas.
João Pessoa
Na capital paraibana, as equipes da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) de Campina Grande capturaram o segundo alvo – Allan Pereira Paes Maciel – escondido em uma casa no bairro de Gramame. Ele apresentou um documento falso, mas os policiais já tinham conhecimento de seu verdadeiro nome.
Catolé de Boa Vista
Com a prisão de Allan, os policiais chegaram até uma propriedade rural no Distrito de Catolé de Boa Vista, em Campina, onde encontraram duas munições de fuzil calibre .50. “Allan Capacete” é apontado como o membro da organização criminosa que enterrou as 200 bananas de dinamites em sítio no município de Santa Cecília (PB), apreendidas durante uma operação policial em janeiro deste ano.
Campina Grande
Em janeiro deste ano, dois assaltantes de banco morreram em confronto com a Polícia Civil no bairro do José Pinheiro, em Campina Grande. As investigações apontam que eles também faziam parte da organização criminosa a que pertencem Camilo e Allan.
Patos
Em março, a Polícia Civil da Paraíba e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) prenderam “Júnior Lira”, outro assaltante de banco investigado pelas polícias de vários estados do Nordeste. Allan estava com ele no momento em que foram abordados pela PRF, mas apresentou documento falso e conseguiu escapar da prisão.
Sergipe
Também no mês de março, a Polícia Civil da Paraíba localizou o paradeiro de Ranielly Brito, outro assaltante de banco procurado em todo o Nordeste. Ele estava em um hotel de luxo na orla de Aracaju, na companhia de uma mulher apontada como uma das chefes do tráfico de drogas no Rio Grande do Norte. Ambos foram presos e escoltados à Paraíba e ao RN de helicóptero.
Pernambuco
Ainda no mesmo mês, as polícias Militar e Federal prenderam em Taquaritinga do Norte (PE) José Ailton do Nascimento Costa (“Matuto”), outro assaltante de banco que faz parte da mesma quadrilha.
São João do Cariri
“Todos esses nomes foram indiciados pela tentativa de roubou ao carro forte em São João do Cariri, crime cometido em julho de 2020. Estamos desarticulando, portanto, uma organização criminosa que se ramifica por toda a região Nordeste. É trabalho árduo, difícil, mas não medimos esforços para tirar esse grupo de circulação”, concluiu Diego Beltrão.
Assessoria PC PB