Agora Na Rádio
Jornal da Tarde

Chega a vez de trabalhadores de saúde, idosos e quilombolas serem vacinados na PB


Última atualização em 24/04/2021 12:28, por Jr Queiroz

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) distribuiu, nesta sexta-feira (23), mais uma remessa de doses dos imunizantes contra a Covid-19. O Estado segue com a campanha e orienta que os municípios priorizem a vacinação dos profissionais de saúde, idosos acima de 60 anos e das comunidades quilombolas. Foram distribuídas 59.300 doses da vacina Sinovac/Butantan e da Astrazeneca/Fiocruz, referente à 14ª remessa.

Até o momento, a Campanha de Vacinação na Paraíba incorporou os seguintes grupos prioritários: pessoas idosas acima de 60 que residem em instituições de longa permanência (100%); pessoas a partir de 18 anos de idade com deficiência que residem em residências inclusivas (100%); povos indígenas vivendo em terras demarcadas (100%); idosos de 90 anos ou mais (100%); idosos de 80 a 89 anos (100%); idosos de 75 a 79 anos (100%); idosos de 70 a 74 anos (100%); idosos de 65 a 69 anos (100%); idosos de 60 a 64 anos (60,35%); trabalhadores de Saúde (76,7% ); Força de Segurança, Salvamento e Forças Armadas (18%); comunidades quilombolas (59%).

De acordo com a Nota Técnica enviada pela SES, das doses 1 (D1) recebidas nesta remessa, 80% do total foi destinado para continuidade na população de 60 a 64 anos, 10% a ser aplicado na população meta do grupo quilombola e 10% para o grupo dos trabalhadores da Saúde. Já as 11.760 doses da vacina Sinovac/Butantan foram destinadas para as doses 2 (D2).

O secretário de Estado da Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, recomenda o gerenciamento, por parte de cada coordenação municipal, das doses 2 enviadas, atentando ao prazo de aplicação. “É importante priorizar sempre o fechamento do esquema vacinal. “A SES recomenda que os gestores municipais sigam o que foi pactuado em CIB e as orientações técnicas, no sentido de não utilizar a dose 2 como dose 1. E a seguir o PNI, não se antecipando em grupos prioritários porque isso significa que está tirando dose dos grupos mais vulneráveis”, pontua.

Geraldo Medeiros reforça que, mesmo com o intervalo entre as doses superado, ou seja, maior que 28 dias para a vacina Sinovac/Butantan e maior que 90 dias para Astrazeneca/Fiocruz, ela não perde o efeito.

Até o momento, já foi distribuído um total de 1.088.930 doses dos imunizantes na Paraíba. Foi registrado no sistema de informação SI-PNI a aplicação de 829.120 doses, sendo 601.904 referentes à primeira dose e 227.216 à segunda dose da vacina.

 

Secom/PB