Agora Na Rádio
Jornal do Meio Dia

Número de consumidores endividados na Paraíba cresce 15% comparado a 2020


Última atualização em 07/11/2021 21:43, por Yan César

O número de inadimplentes da Paraíba cresceu 15,01% em outubro de 2021, em relação a outubro de 2020. O dado ficou acima da média da região Nordeste (2,21%) e acima da média nacional (2,60%). Na passagem de setembro para outubro, o número de devedores da Paraíba cresceu 7,31%. Na região Nordeste, na mesma base de comparação, a variação foi de 2,30%.

A abertura por faixa etária do devedor mostra que o número de devedores com participação mais expressiva na Paraíba em outubro foi o da faixa de 30 a 39 anos (24,01%). A participação dos devedores por sexo segue bem distribuída, sendo 54,60% mulheres e 45,40% homens.

Em outubro de 2021, cada consumidor negativado do estado devia, em média, R$ 3.024,49 na soma de todas as dívidas. Os dados ainda mostram que 44,69% dos consumidores do estado tinham dívidas de valor de até R$ 500, percentual que chega a 58,94% quando se fala de dívidas de até R$ 1.000.

O tempo médio de atraso dos devedores negativados da Paraíba é igual a 24,6 meses, sendo que 32,17% dos devedores possuem tempo de inadimplência entre 1 a 3 anos.

Evolução do número de dívidas

Em outubro de 2021, o número de dívidas em atraso de moradores da Paraíba cresceu 15,39%, em relação a outubro de 2020. O dado ficou acima da média da região Nordeste (3,81%) e acima da média nacional (3,58%). Na passagem de setembro para outubro, o número de dívidas da Paraíba cresceu 8,13%. Na região Nordeste, nessa mesma base de comparação, a variação foi de 3,57%.

O setor com participação mais expressiva do número de dívidas em outubro no estado da Paraíba foi Bancos, com 58,07% do total de dívidas.

Número médio de dívidas por devedores

Em outubro de 2021, cada consumidor inadimplente na Paraíba tinha em média 1,75 dívidas em atraso. O número ficou abaixo da média da região Nordeste (1,77 dívidas por pessoa inadimplente) e abaixo da média nacional registrada no mês (1,8 dívidas para cada pessoa inadimplente).